Arquivos da categoria: Educação financeira

Expomoney 2008 – Palestra Gustavo Cerbasi

Palestra Estratégias de investimento, com Gustavo Cerbasi – Escritor e consultor

Cada pessoa deve encontrar a melhor forma de investir, a mais adequada ao seu perfil, optar em ser mais arrojado ou conservador. A medida para identificar se está no caminho certo sempre vai ser o equilíbrio. O investidor não pode perder o sono e deve aprender a administrar riscos, sempre de forma saudável.

A principal dica é estar informado, buscar várias fontes de informação e compará-las. Investir é uma opção de longo prazo. Querer ganhar muito em pouco tempo é tarefa arriscada até para profissionais, portanto, o tempo é o melhor amigo dos bons resultados.

O conservadorismo também é um amigo positivo. Há investimentos que crescem muito, mas geralmente estão ligados a maiores riscos.

As palavras chaves para abundância financeira são:
– Longo prazo;
– Juros compostos;
– Decisões inteligentes;
– Informação;
– Administração de risco;
– Razão entre tempo de dedicação e conservadorismo.

O palestrante sugeriu a REGRA DOS 80 para ver o percentual de investimento em renda fixa e renda variável:

80 – (sua idade) = percentual de renda variável da carteira.

Ex. Um investidor de 30 anos:
80 – 30 = 50% investimento em renda variável e 50% em renda fixa. Quanto mais jovem a pessoa é, mais risco pode correr e terá tempo de se recuperar. Uma pessoa mais velha deve correr menos riscos para ter uma aposentadoria confortável.

Algumas regras de sobrevivência:
– Investir sempre e esperar resultados em longo prazo. Cabe o chavão: “devagar e sempre” Os resultados não são imediatos e são baseados em juros compostos, juros sobre juros.
– Saber o que comprar, se informar. Não precisa ser expert no assunto, basta entender o básico de economia. Ver as opiniões de alguns economistas e compará-las.
– Diversificar a carteira também é importante, ter em torno de cinco empresas na carteira. Diversificar tanto as empresas quanto os segmentos dos investimentos. Alterne entre renda fixa e variável. A variedade é importante para diminuir riscos, caso uma empresa quebre o rombo não será irrecuperável.
– Criar regras também foi um aspecto levantado. Determinar onde, quanto e por quanto tempo vai investir. Algumas vezes fixar um objetivo também é um impulso positivo. Viagem ao exterior, reformar o escritório, independência financeira, casamento. O objetivo vai colaborar para saber quando se vai resgatar o investimento. Por exemplo, para o casamento: você terá o orçamento da festa e fará o planejamento dos melhores investimentos para chegar ao objetivo, assim, ao alcançá-lo, você faz a festa. Isso é interessante para não se criar uma “neura”. Quanto mais tempo você investir, mais seu dinheiro vai render, o objetivo serve para administrar a relação valor/tempo, assim você usufruirá dos rendimentos sem culpa.

A palavra chave é: Viver feliz economizando, não abrir mão da qualidade, mas levar tudo com bom senso. Consumo consciente é importantíssimo. Assim como convencer as pessoas que estão “no barco” com você a colaborar com seus objetivos, ninguém investe sozinho.

Esse post foi baseado nas informações dadas na palestra do Gustavo Cerbasi, autor do livro “Casais inteligentes enriquecem juntos”. Mais informações sobre o consultor podem ser vistas no site www.maisdinheiro.com.br.

Expomoney 2008 – Armadilhas do Consumo – Márcia Toletti

Como parar de perder? Evitando as armadilhas do consumo!

Saiba o que acontece com seu dinheiro, principalmente os pequenos gastos.
Crie uma planilha para controlá-los e ver o montante de seus gastos. Baseie-se nela para identificar onde economizar e onde ser mais racional.

Algumas armadilhas de consumo:
– Ilusão de felicidade: acreditar que ter um relógio da marca “X” vai te deixar mais feliz;
– Inveja: querer uma casa grande igual a do vizinho, roupas caras como a da cunhada, etc;
– Status: querer um carro maior, mais potente, de mais valor para se destacar;
– Insatisfação: compensar as insatisfações com compras, ir ao shopping quando estiver triste;
– Autoboicote: não comprar nada a semana inteira e gastar tudo o que economizou no fim de semana. Deixar de sair com os amigos para economizar e no fim do mês comprar algo material e supérfluo.

Passos para superar as armadilhas do consumo:
– Romper com a cultura do endividamento, comprar a vista;
– Romper com mitos de que é impossível economizar;
– Considerar o futuro;
– Não ter todos os prazeres o tempo todo, não precisa ter uma vida de restrições, mas moderar os prazeres e planejá-los;
– Diferenciar consumo do consumismo.

Esse post foi baseado nas informações dadas na palestra da escritora Márcia Toletti.